terça-feira, janeiro 04, 2011

Rushdie e a narrativa jogo


Salman Rushdie nunca foi grande fã dos videojogos, contudo parece que agora está a tentar fazer um esforço para se aproximar da arte. Em 1995 num entrevista feita por David Cronenberg para a revista Shift, dizia o seguinte:

"Cronenberg: Do you think there could ever be a computer game that could truly be art?
Rushdie: No."
Justificando
"Rushdie: In the end, a work of art is something which comes out of somebody’s imagination and takes a final form. It’s offered and is then completed by the reader or the viewer or whoever it may be”

No entanto vendo a entrevista abaixo, para o Big Think, e percebendo que o seu próximo livro deverá conter lógicas narrativas influenciadas pelos videojogos, sou obrigado a concordar com o Jesper Juul, que este deverá ter uma "relação de amor-ódio" com os videojogos.




[via The Ludologist]
Enviar um comentário