sábado, fevereiro 12, 2011

Moullinex com Kinect, Processing, Cinema 4D, AE

Ora que excelente surpresa para uma tarde de sábado, Catalina, música e vídeo de Moullinex fazendo uso das ferramentas de eleição - Kinect, Processing, Cinema 4D, After Effects - dos Mestrados em que trabalho na UM - Tecnologia e Arte Digital e Media Interactivos.
E depois de ter visto o vídeo fui novamente surpreendido pelo facto de ser feito por portugueses, tanto o vídeo como a música. Moullinex é o pseudónimo musical usado por Luís Clara Gomes, que tem trabalhado com Luís Calçada para a componente audiovisual. Fora do "hobby" musical e audiovisual trabalham ambos no European Southern Observatory (ESO) em Munich depois de terem andado por Portugal a trabalhar em diferentes grupos de investigação nomeadamente no campo da programação e comunicação científica. Fiquei surpreendido porque o vídeo não me foi enviado por ninguém nacional, vi antes isto publicado na página de um dos mais respeitados nomes da Adobe, John Nack, responsável pelo campo do digital imaging.

Para este excelente trabalho recorreram à biblioteca de Daniel Shiffman que permite controlar a Kinect via Processing e depois fizeram uso do Cinema 4D para ler as sequências 3d capturadas pela Kinect em tempo real. No caso do Cinema 4D tiveram de recorrer a alguns scripts em Python de modo a permitir este cruzamento de dados entre o Processing e o Cinema 4D. Mais detalhe sobre todo este processo pode ser visto no excelente Making Of online. E como o Luís Clara Gomes e o Luís Calçada devem ser adeptos do verdadeiro espírito open-source, ainda colocaram à disposição os project files do projecto.

Em termos estéticos é um trabalho que entra num campo agora em voga e que designaria por minimal procedural, algo que vai sendo comum em ambientes que fazem uso de Processing e que me faz lembrar de algum modo YMYI. Por outro lado é uma escolha que encaixa perfeitamente sobre o tipo de música em questão. O que mais gosto no filme é mesmo da chuva e dos seus salpicos, excelente detalhe. Julgo que a montagem que não é feita por eles, mas sim por Francisco Costa, é também muito bem conseguida porque cria um ritmo próprio independente da música e que nos cativa.

Enviar um comentário