sábado, julho 02, 2011

Under Siege (2011)

Foram anos de espera, não me lembro da data em concreto em que soube pela primeira vez da existência do projeto Under Siege (2011) mas sem dúvida que todo este tempo só serviu para o amadurecer e deixar respirar enquanto artefacto. Este compasso de tempo, é normal em grandes produções, e Under Siege demonstra que também é uma dessas grandes produções porque não só é o primeiro jogo português para a PS3, como é o jogo mais caro da história dos videojogos nacionais. Um milhão e 400 mil euros representa um volume de investimento superior à grande maioria das produções cinematográficas nacionais.


Sobre as minhas expectativas, em primeiro lugar digo-vos que não gosto particularmente do género RTS, as muitas regrinhas, as estratégias e principalmente o ritmo da jogabilidade não me cativam. Desse modo a minha atitude para com Under Siege, partiu de um nível misto, se por um lado esperava e desejava que fosse um grande jogo, por tudo o que disse no primeiro parágrafo, por outro lado tinha a questão de ser um RTS que me deixava bastante apreensivo.


Assim tenho que dizer que o meu primeiro contacto com o jogo foi uma surpresa total. Apesar de ter visto antes muitas imagens, comics, vários vídeos de cinemáticos mas também de gameplay, de ter visto o jogo a ser jogado pelo pessoal da Seed Studios, nada me preparou para o espanto que senti ao interagir com Under Siege pela primeira vez. De repente parecia que tinha passado a gostar de RTS.


Under Siege é um jogo de nível médio, em termos de valores de produção e de preço de aquisição, mas por vários momentos tive a sensação que estava a jogar um jogo triple A, um blockbuster de 20 ou 30 milhões de dólares. A qualidade da Arte Visual, da Arte Musical, da Arte Escrita dos Diálogos e Narrativa superam qualquer dos jogos de nível médio que joguei até agora. Apresentam níveis de profissionalismo elevadíssimos que normalmente só encontramos nos jogos de grande produção.


Visualmente sentimos uma alegria enorme cada vez que entramos numa nova área do jogo, cada vez que vemos um novo personagem, ou mesmo cada vez que vemos uma nova interface de informação. Musicalmente somos brindados com ritmos épicos, que nos transportam para dentro daquele mundo e criam toda uma atmosfera digna de Tolkien. Mas o mais interessante acaba por aparecer nos diálogos em texto, porque confesso que sinto alguma estranheza em estar a jogar e a ler o jogo em Português, estranheza porque se sente claramente que aquilo não é uma tradução, aquilo são diálogos genuinamente portugueses. O jogo em geral apresenta todo um universo de influências inter-textuais internacionais, mas no que toca ao texto, percebe-se claramente que tivemos ali a mão de portugueses a trabalhar, portugueses que estão habituados a fazer do melhor na arte dos comics nacionais.


Em termos de interatividade e jogabilidade, temos um jogo muito fluido, equilibrado, e que dá tempo ao jogador para que ele se enquadre e aprenda o que é preciso fazer para desfrutar do jogo. Apesar da jogabilidade típica RTS com acesso ao mundo em 45º, podemos controlar a câmara como se de um jogo de ação e aventura se tratasse. Os objetivos estão perfeitamente sintonizados na narrativa que é apresentada por cutscenes simples mas envolventes.

Under Siege™ Official PSN Store Trailer

Resta-me dar os parabéns à Seed Studios, por este magnífico trabalho, que possui um enorme valor para toda a comunidade criativa de videojogos nacionais, e desejar que em breve possamos ter um novo capítulo.


Links Virtual Illusion
Under Siege ganha Premio Zon 2010, Janeiro 28, 2011
Intro Cinematica pela Axis Animation, Novembro 18, 2010
Jogo português para PS3, Março 08, 2009
Enviar um comentário