domingo, outubro 28, 2007

Compêndio da Poética Fílmica

O último livro de David Bordwell, Poetics of Cinema, vai finalmente chegar às lojas. Segundo DB o livro vai ficar pelos $45 o que é bastante para um paperback. No entanto se pensarmos que o livro tem cerca de 500 páginas e 500 fotografias não me parece assim tão exorbitante. Aliás pensando agora que a minha tese com apenas 400 páginas e 200 fotografias ficou, numa impressão a preço de estudante, por 50€. No entanto não deixam de ser interessantes as afirmações de DB relativamente ao papel dos editores no processo e a comparação ao mundo da música.
From age fifteen or so I’ve been a compulsive writer. Scribble, scribble, scribble. I’ve been at work on one book or another for over thirty years. I’ve got several projects in mind for my next effort, but I’ve held back committing. Is there any point in publishing more books, at least as books?
I mean this as a serious question. Would it have made any difference to me or my readers if Poetics of Cinema appeared as pdfs, available at a price considerably less than $45? Wouldn’t I find more readers? What about variable pricing? If Radiohead can do it, why can’t I? Somebody in film studies should try putting a digital book for sale online; maybe I will. But for a few years at least, this last baggy monster will be available only in dead-tree format.
Sobre o livro em si este trata, para mim, as questões fundamentais dos estudos fílmicos ou seja a poética, no seu sentido aristotélico ou se quisermos uma perspectiva literária, no seu sentido gramatical, do cinema.
As a kind of reverse engineering, film poetics looks at both structure and texture. I argue that we ought to study how films are constructed architecturally, as revealed for instance in plot structure or narration. Poetics also concentrates on stylistic patterning, the way filmmakers organize the techniques available to the medium. Poetics traditionally deals as well with thematics, the subjects and ideas that are mobilized by filmmakers and reworked by large-scale form and cinematic style.
Fundamentalmente a poética fílmica preocupa-se com o estudo das convenções, normas, tradições, rotinas que sugerem as escolhas criativas dos autores para o desenvolvimento de determinadas reacções nos espectadores. A tradição vem do formalismo russo e tanto Bordwell como Kristin Thompson têm sido os seus grandes defensores desde os anos 80, marcando aqui uma cisão grande com as questões da escola fílmica francesa e criando assim uma espécie de segunda via ou escola anglosáxonica.

Para mais informação sobre o livro e o tema sugiro a leitura da auto-review no blog de DB e o texto dele sobre a história dos estudos da poética fílmica de 1989, disponível online. Ao que parece este texto que foi para mim muito inspirador e de certa forma até fundador de um modelo de investigação, foi agora completamente revisto e está presente no livro também.
Enviar um comentário