domingo, fevereiro 01, 2009

história audiovisual

Numa passagem pelo Internet Archive entretive-me a ver as novidades de Moving Images e fiquei estupefacto com a quantidade de obras primas que já por ali se podem ver na integralidade e de graça por pertencerem ao Domínio Público. Claro que nem tudo são rosas, as cópias que aqui vemos foram feitas a partir de películas antigas mal conservadas e por processos de conversão vídeo algo duvidosos. Nos últimos anos e devido ao impulso dado pelo aparecimento dos formatos Laser Disc e DVD todos estes filmes foram restaurados para poderem ser vistos e revistos com a qualidade original. O problema é que as obras restauradas não pertencem ao dominio público, podendo apenas ser disponibilizadas em regime aberto cópias das versões não-restauradas. Pode parecer de somenos importância, mas ver Metropolis na sua cópia restaurada é uma experiência completamente nova que assume todo um deslumbramento estético impossível nas versões envelhecidas.

No meio dessas obras encontrei um documento raro, Nazi Concentration Camps (1945), por mim nunca visto, sobre os campos de concentração Nazis. São 59 minutos construídos a partir de colagens de vários pequenos filmes da altura em que os Aliados entraram nos vários campos de concentração Nazis. Opto por o expor aqui porque não sendo um documento de ficção é um documento audiovisual de uma força extraordinária. Graficamente violento, violento não no seu sentido visual convencionado do sangue e afins mas antes no poder conotacional despoletado pelo facto de se tratar de imagem real. Algo a ver com reservas pelos mais sensíveis, contudo obrigatório. Não foi assim há tanto tempo e se nos lembrarmos que tudo isto surge com uma grande depressão económica... E já agora e para desanuviar o peso das imagens do Holocausto vejam a animação, Make Mine Freedom (1948), de John Sutherland sobre as vantagens do Capitalismo sobre o Comunismo



E para contrabalançar fica aqui a visão oposta "The Communist Manifesto illustrated by Cartoons".



Como alguém diz num comment no YouTube: "If the history of the past two centuries has taught us anything, it is that neither socialism nor capitalism work if taken to extremes."

Não tendo tido tempo para pesquisar tudo, deixo aqui uma lista de apenas algumas obras obrigatórias da história do cinema disponíveis no Internet Archive entre muitas outras.

Le voyage dans la lune de Georges Melies (1902)
The Birth of a Nation de D.W. Griffith (1915)
Das Kabinett des Doktor Caligari de Robert Wiene (1919)
The Kid de Charles Chaplin (1921)
Nosferatu de Fritz Lang (1922)
Haxan de Benjamin Christensen (1922)
Metropolis de Fritz Lang (1927)
M de Fritz Lang (1931)
The Man Who Knew Too Much de Alfred Hitchcock (1934)
The 39 Steps de Alfred Hitchcock (1935)
Triumph of the Will de Leni Riefenstahl (1935)
The Gold Rush de Charles Chaplin (1942)
Shadow of a Doubt de Alfred Hitchcock (1943)
The Stranger de Orson Welles (1946)
The Little Shop Of Horrors de Roger Corman (1960)
Enviar um comentário