quarta-feira, julho 22, 2009

Jogo português para PS3, parte II

Depois de já em Março aqui ter falado do novo jogo da Seed Studios, volto a trazer o assunto por razões de comunicação. É muito interessante ver que a Seed Studios está a seguir os padrões internacionais de marketing no que toca a promoção dos seus produtos. Este é o caminho aconselhado e necessário, ao contrário de praticamente toda a produção de jogos realizada em Portugal nos últimos anos. Para investimentos grandes são necessários também grandes promoções. E essas nem tem de ser em publicidade pura, mas podem e até devem ser em formatos de Relações Públicas atraindo a atenção dos media. Nos últimos meses muitas têm sido as entrevistas dadas pelo grupo e inclusive os convites para trabalharem em parceria com o ensino superior, o que pode ser visto como mais uma estratégia de RP. Entrevistas: TVI24, Gamerstek, TakeitGame, Exame Informática (Agosto), Revista Oficial Playstation (Julho)...

Diga-se que a estratégia do diário foi fabulosa uma vez que funciona como um autentico teaser de ligação contínua à fonte de criação. Faz os receptores sentirem-se mais próximos e como tal envolvem-se mesmo antes de começar a jogar. Este "antes de jogar" é essencial para que as pessoas passem a sentir o jogo como parte do seu universo de referências e como tal sintam que pertencem a um grupo (fãs) alargado de pessoas que também irá jogar aquele jogo.

E a verdade é que online pode-se sentir já o furor em redor do jogo, tanto ao nível do blog de produção em conjunto com a UndersiegeTV (canal YouTube onde são colocados os trailers) que têm tido milhares de visitas e centenas de comentários, como no resto da web foruns e blogs (alguns links encontrados com uma rápida pesquisa no google [1], [2], [3], [4], [5], [6], [7], [8]). A questão não é só pelo facto de ser a primeira publicação nacional para PS3, mas porque as pessoas sentem que o jogo tem potencial para ombrear com grandes produções internacionais, algo já tentado mas não conseguido em Portugal. E diga-se que a estratégia de marketing está também a funcionar e ainda bem.

Já agora e sobre algo menos jogo e mais audiovisual, o trailer em específico, funciona muito bem, consegue usar toda uma estratégia narrativa assente na figura de estilo do suspense, versado no mistério. Vão sendo revelados alguns detalhes, mas é dado a perceber que muita informação é ainda retida. Leva-se o espectador numa viagem (com a câmara a planar sobre a geografia) permitindo a recolha de pistas ao espectador, mas ao mesmo tempo retendo informação de promenor. Visualmente muito bom, e diria até que é ainda mais forte no plano sonoro, um verdadeiro objecto de campanha e de alta qualidade.


Em conclusão só esperamos que o jogo atinja o patamar atingido pelas expectativas entretanto criadas. As expectativas são essenciais para este tipo de estratégia que cultiva uma cultura de fãs, mas eleva a fasquia e a responsabilidade para com esses fãs e como tal obriga-nos a responder em padrões ainda mais elevados do que os entretanto estabelecidos.
Enviar um comentário