domingo, março 08, 2009

construtor de mundos

Rodado num único dia e com uma pós-produção de 2 anos. Bruce Branit volta a investir numa obra, World Builder (2008), de baixos recursos capaz de ombrear tecnicamente com grandes produções. Depois do sucesso e onda de entusiasmo gerado pelo filme 405 em 2000, agora é a vez de imaginar um mundo como ponte de ligação mental. Dez minutos muito bem conseguidos e que nos fazem reflectir sobre o potencial por detrás dos modelos que vamos modelando e animando em plataformas 3d.

Todo o 3d foi criado com Lightwave, pelo meu lado, tenho andado nos últimos dias a testar o Cinema 4D, o que me deixou ainda mais propenso ao impacto do filme. Quanto ao C4D é uma ferramenta que recomendo vivamente como introdução, pela sua facilidade e velocidade de execução. Comparando com o Max, arriscar pegar numa metáfora que vi num forum, que a interface e controladores estão como de um Avião (Max) para um carro (C4D). A flexibilidade é menor, mas a facilidade e rapidez de execução compensam largamente.

Vejam então o filme de Bruce Branit, que retrata: "A strange man builds a world using holographic tools for the woman he loves."



[a partir de Publicidade Digital]
Enviar um comentário