quarta-feira, maio 21, 2014

O social e as barreiras culturais

Em conversa com um colega nomeei Asghar Farhadi como o melhor realizador da atualidade, depois percebi que só tinha visto os seus filmes mais recentes About Elly (2009), A Separation (2011) e Le Passé (2013), por isso fui pesquisar as suas obras anteriores e encontrei "Fireworks Wednesday" (2006). Não me desiludiu, mostra apenas o início de uma carreira que promete ser brilhante.




Falei aqui com muita emoção de About Elly (2009) e A Separation (2011), mas não falei do último filme Le Passé (2013). Julgo que dos três últimos, continuando a ser muito bom, não mexeu tanto comigo, e por isso não me levou a ter vontade de escrever. Agora que vi "Fireworks Wednesday" julgo que percebi em parte o que se terá passado, Le Passé é passado em França com algumas ligações ao Irão, mas aquela aura cultural muito particular do Irão perde-se. Ou por outro lado tendo sido a primeira experiência de Farhadi fora da sua cultura nativa, não terá sido tão liberto como nos filmes realizados em casa.

Percebi isto com "Fireworks Wednesday" porque sendo um filme anterior, em que Farhadi denota uma menor mestria técnica da arte cinematográfica, no campo narrativo e performativo o filme regista uma qualidade elevadíssima. Algo que também só é possível porque os filmes são escritos e baseados em histórias suas, mas que no caso de Le Passé acaba por denotar alguma distância, perfeitamente natural, que o realizador tem face à sociedade francesa.

Concentrando-me em "Fireworks Wednesday" é uma obra que apresenta aquilo que tinha dito a propósito de "A Separation", a "marca de autenticidade do seu trabalho" sendo difícil para quem conhece qualquer filme seu, "voltar a ver um seu filme sem imediatamente o identificar". Farhadi é um analista do ser humano, um cientista social, capaz de perscrutar os mais íntimo do íntimo das relações interpessoais e sociais, sendo a partir daí que depois conta as suas histórias. Na senda dessa autenticidade, em "Fireworks Wednesday" somos atirados para o lugar de uma jovem prestes a casar-se, que ao longo de um dia apenas, choca de frente com a dura realidade da relação do casamento, da complexidade humana, e das infinitas variáveis que compõem a teia social que une os seres uns aos outros.

"Fireworks Wednesday" é um trabalho brilhante de storytelling e acting, capaz de nos conduzir através de uma cultura estranha para nós, tornando-a fácil e acessível, fazendo parecer que todas aquelas pessoas poderiam morar no apartamento ao lado do nosso, fosse na Europa, EUA ou Brasil.
Enviar um comentário