sexta-feira, maio 10, 2013

Grande exposição de Salvador Dalí, em Madrid

O Museu Reina Sofia em Madrid iniciou a 27 de Abril 2013 uma enorme exposição temporária dedicada a Salvador Dalí, Dalí - Todas las sugestiones poéticas y todas las posibilidades plásticas, que estará aberta até 2 Setembro 2013. Como passei por Madrid esta semana para dar aulas, aproveitei a oportunidade para visitar a exposição. Deixo aqui algumas das minhas impressões sobre as cerca de 200 obras presentes - quadros, desenhos, esculturas, filmes, guiões, fotografias e hologramas.

Desdobrável da exposição [PDF]

O mais interessante da exposição é desde logo o facto da obra de Dalí estar espalhada por várias museus do mundo inteiro, sendo que os museus que mais obras possuem e claro mais contribuíram para a exposição foram o Museu Dalí em St. Petersburg, Florida, EUA e o Teatro-Museo Dalí em Figueres, Catalunha, a terra natal de Dalí. Contribuíram ainda o MoMA (NY), o Philadelphia Museum of Art, Tate Modern, e o Musées Royaux des Beaux-Arts da Bélgica. Deste modo a oportunidade para ver num único local várias obras é bastante atractivo. Mas torna-se ainda mais atractivo porque a escolha e a organização da exposição está muito bem conseguida. A mostra desenrola-se de um modo cronológico e estético, o que nos permite ganhar uma noção muito mais concreta, não apenas da evolução do talento de Dalí, mas também das suas influências, leituras, desejos, e conflitos.
"Artista singular, con gran oficio de la pintura, plasma en su obra pictórica y literaria elementos obsesivos que son metáforas de nuestro inconsciente, y genera un arte a veces perturbador que habla directamente al espectador...
El inventor del método paranoico-crítico se hace también eco de los descubrimientos científicos de su época que le impulsan a expandir constantemente los límites de sus experiencias en relación con el espacio y el tiempo. El artista, imaginativo, curioso y pródigo, se utiliza a sí mismo como objeto de estudio, sobre todo bajo el prisma del psicoanálisis freudiano, y sienta las bases de la construcción de su personaje."
[retirado do catálogo]
Apesar do surrealismo ser chave na história artística de Dalí, ao longo das 9 salas que constituem a mostra, temos oportunidade de analisar uma catalogação desenhada em 11 fases:
1. Del vidrio de multiplicar a la putrefacción
2. Autorretratos
3. La miel es más dulce que la sangre
4. Surrealismo
5. El Ángelus
6. El rostro de la guerra
7. Surrealismo después de 1936
8. América
9. La vida secreta
10. Escenarios
11. El enigma estético
A fase 1 e 2 dá-nos a ver os inícios de Dalí em que faz uso dos seus familiares como modelos, e em que começa a realizar os seus autoretratos. É uma fase que dá ver de onde Dalí parte, do padrão da pintura para logo começar a contestar tudo e todos. Um dos quadros mais conhecidos dessa fase é Muchacha en la Ventana (1925).

Muchacha en la Ventana (1925)

Na fase 3 temos o encontro com Buñuel na escola de Belas Artes em Madrid que é muito importante e do qual surgirão os filmes Un Perro Andaluz (1929) e L'âge d'or (1930). Daqui passa a frequentar Picasso, Miró, Breton, entre outros e começa o caminho de tentativa de criação de um método que lhe pudesse permitir desenvolver toda a lógica surrealista, ou seja de conseguir pintar não aquilo que o consciente conhece, mas aquilo que o inconsciente imagina. O método ficaria conhecido como "paranóico-crítico", e é nesta fase (4,5,6,7) que vão surgir algumas das suas obras mais reconhecidas mundialmente - Carne de Gallina Inaugural (1928), El gran masturbador (1929), La persistencia de la memoria (1931), El " Ángelus" arquitectónico de Millet (1933), Reminiscencia Arqueológica de El Angelus de Millet (1933), Le Spectre du Sex Appeal (1934). La Desintegración de la Persistencia de la Memoria (1954).

La persistencia de la memoria (1931)

Dalí segue para os EUA em 1940 e aí ganha um estatuto de estrela das artes, sem qualquer timidez, tirará um enorme proveito da cultura do espetáculo tão cara ao estilo americano. Um dos seus trabalhos mais interessantes nos EUA será o filme de animação Destino (1945-2003) realizado com Walt Disney. O filme iniciado em 1945, só seria terminado e dado a conhecer ao público em 2003. Interessante ver como Dalí se interessou e cruzou tantas formas de arte distintas. O seu objectivo de comunicar visualmente podia trespassar qualquer media que fizesse uso dessa componente.

Destino (1945-2003) de Walt Disney e Salvador Dali [HD Completo]

Na sua fase final o seu interesse pela ciência e tecnologia aumenta. O grande objectivo de Dalí e da sua pintura foi desde sempre o de tentar compreender como pensamos, como percepcionamos e compreendemos o mundo. Daí que se tenha interessado tanto pelo surrealismo, depois pelos escritos de Freud, e no final se tenha chegado mais perto dos desenvolvimentos da ciência no sentido de conseguir ir mais longe na sua busca. Dalí foi claramente um investigador incansável da essência do ser humano, determinado, ambicioso e um grande explorador. Deixo a frase com que termina a última sala da exposição.
"I believe that art and science will have merged by 2001. Art is the reflection of the complete discontinuity of matter, science is its proof. By 2001, the artists, sculptors, and painters of that day will be able to portray this discontinuity in a new kind of explosive harmony." Dali, in Amazing Stories, 30th Anniversary Issue, 1956
Apresentação da exposição de Dalí no museu Reina Sofia (2013)
Enviar um comentário