sábado, fevereiro 23, 2013

TED sobre a criação de escolas melhores

Andreas Schleicher é o director do Program for International Student Assessment, mais conhecido por rankings PISA da OCDE, e traz-nos aqui uma TED talk poderosa, Use Data to Build Better Schools, sobre as revelações que podemos obter através da análise detalhadas dos vários resultados do PISA.


Apresenta uma nova forma de avaliar os dados, realiza comparações no tempo de vários países, incluindo Portugal, e explica o que aconteceu em termos de políticas educativas que originaram as evoluções nos vários países. É um discurso que por vezes choca com algumas das minhas convicções, nomeadamente na questão dos rankings e das diferenças sócio-psicológicas de cada aluno. Mas que assumo aqui que me deixei convencer pelo seu discurso, mais ainda pelas evidências demonstradas e por um discurso que não se encerra num ranking mas reconhece as práticas por detrás desses rankings, como diz Schleicher,
"In the past, different students were taught in similar ways. High performers on PISA embrace diversity with differentiated pedagogical practices. They realize that ordinary students have extraordinary talents, and they personalize learning opportunities. High-performing systems also share clear and ambitious standards across the entire spectrum. Every student knows what matters. Every student knows what's required to be successful."
Para além dos alunos, uma discussão sempre tida é a do investimento na educação em cada país, e aqui temos mais uma abordagem muito interessante. A educação não é apenas uma questão de investir mais do que os outros, mas saber em que é que se deve investir. Os países vivem todos estados evolutivos diferentes e por isso precisam todos de abordagens distintas para poder caminhar no sentido de melhorar os seus resultados. Mas existem vários princípios fundamentais que são aqui lançados por Schleicher e que demonstram o avanço de Portugal nos últimos 20 anos, por outro lado alguns desses princípios parecem-me ter sido postos claramente em jogo no nosso país nos últimos 4 ou 5 anos, tais como,
"Everybody agrees that education is important. Everybody says that. But the test of truth is, how do you weigh that priority against other priorities? How do countries pay their teachers relative to other highly skilled workers? Would you want your child to become a teacher rather than a lawyer? How do the media talk about schools and teachers?"
Para mim isto é fundamental, e é mais uma enorme diferença entre Portugal e os melhores países, o reconhecimento da carreira de professor. Em Portugal o professor perdeu a respeitabilidade, primeiro dos políticos, depois dos media, e claro que a sociedade não ficou indiferente e seguiu-lhe os passos. Se eu não quero que os meus filhos sigam a carreira de professor como é que eu posso esperar ter uma boa educação para os meus filhos nas nossas escolas?! Mais uma vez como diz Schleicher,
"Nowhere does the quality of an education system exceed the quality of its teachers. High-performing systems are very careful in how they recruit and select their teachers and how they train them. They watch how they improve the performances of teachers in difficulties who are struggling, and how they structure teacher pay. They provide an environment also in which teachers work together to frame good practice. And they provide intelligent pathways for teachers to grow in their careers."
Não é isto que temos por cá. Mais, não se trata de ter os melhores porque tiveram as melhores notas, ter os melhores porque são os melhores a promover a aprendizagem. Mas esta promoção não é feita com burocracia insustentável que não deixa espaço ao professor para que ele possa ser criativo nessa promoção. Como diz Schleicher é aqui que está uma enorme diferença, ter professores responsáveis pelo desenvolvimento, criação e inovação das próprias práticas pedagógicas.
In bureaucratic school systems, teachers are often left alone in classrooms with a lot of prescription on what they should be teaching. High-performing systems are very clear what good performance is. They set very ambitious standards, but then they enable their teachers to figure out, what do I need to teach to my students today? The past was about delivered wisdom in education. Now the challenge is to enable user-generated wisdom.
High performers have moved on from professional or from administrative forms of accountability and control sort of, how do you check whether people do what they're supposed to do in education to professional forms of work organization. They enable their teachers to make innovations in pedagogy. They provide them with the kind of development they need to develop stronger pedagogical practices.

Enviar um comentário