sexta-feira, outubro 05, 2012

"Tears of Steel", hino aos creative commons

Tears of Steel (2012) é o quarto filme produzido pela Blender Foundation depois de Elephants Dream (2006), Big Buck Bunny (2008), e Sintel (2010). Pelo meio ainda foi criado o videojogo Yo Frankie (2008). Os projectos da Blender Foundation têm sido financiados por donativos da comunidade Blender, pelas pré-vendas dos DVD, tendo ainda neste último caso sido apoiado pelo Netherlands Film Fund. Tears of Steel teve um custo aproximado de 300 mil euros.


Todos os projectos da Blender Foundation são distribuídos sob Creative Commons, o que quer dizer que não só o filme é passível de ser distribuído gratuitamente como tudo o que aparece no filme nomeadamente música, texturas, modelos 3d, animação pode ser re-utilizado pela sociedade de forma gratuita. Isto é a grande marca dos projectos da Blender Foundation e aquilo que faz destes projectos, trabalhos de enorme interesse público para toda a comunidade criativa de artes visuais digitais.


Tears of Steel é o primeiro projecto a trabalhar com imagens de acção real, e a fundir essas com imagens criadas por computador. O objectivo do filme era exatamente dar a conhecer as novas características do Blender em termos de VFX, nomeadamente de camera tracking, rotoscopia, composição digital e gradação de cor que surgiram na versão 2.64 do Blender.

Podem ver-se vários trabalhos de concept art na página do filme.

O filme em si, apresenta um argumento muito interessante, um casal projectado num futuro em que um destes foi transformado num robô. Mas a narrativa acaba por falhar quando se tenta demonstrar tanto artifício técnico de VFx. O contar da história fica em segundo plano, porque é necessário dar corpo ao espetáculo visual. Ainda assim, e tendo em conta o interesse específico deste tipo de projectos, consegue manter o espectador interessado até ao final.

Enviar um comentário